Desenvolvimento de Jogos: O que é e como começar?

Desenvolvimento de Jogos: O que é e como começar?

Você gosta de jogar videogames? Já pensou em criar seus próprios jogos? Se você respondeu sim a essas perguntas, então este artigo é para você. Aqui, você vai aprender o que é desenvolvimento de jogos, como começar a desenvolver seus próprios jogos, e quais as melhores ferramentas disponíveis no mercado para isso.

O desenvolvimento de jogos é uma área muito interessante e promissora, que envolve criatividade, tecnologia, arte e diversão. Mas também é uma atividade que exige dedicação, estudo, planejamento e trabalho em equipe. Por isso, é importante conhecer bem os conceitos, as etapas, os tipos, os gêneros, os requisitos, os papéis, as formas de aprendizado e as ferramentas que fazem parte do universo do desenvolvimento de jogos.

Neste artigo, vamos abordar todos esses aspectos, de forma simples e objetiva, para que você possa ter uma visão geral sobre o assunto e se sentir mais preparado para iniciar sua jornada como desenvolvedor de jogos. O artigo está dividido em três partes principais, cada uma com seus respectivos subtópicos. Vamos lá?

O que é desenvolvimento de jogos?

O desenvolvimento de jogos é o processo de criar um jogo eletrônico, desde a concepção da ideia até a distribuição do produto final. Um jogo eletrônico é uma forma de entretenimento interativo, que utiliza dispositivos eletrônicos, como computadores, consoles, celulares, tablets, etc., para gerar imagens, sons e feedbacks para o jogador ou jogadora.

O desenvolvimento de jogos envolve diversas etapas, tipos, gêneros e profissionais, que vamos explicar a seguir.

Etapas do desenvolvimento de jogos

O desenvolvimento de jogos pode ser dividido em três etapas principais: pré-produção, produção e pós-produção.

Pré-produção

A pré-produção é a fase inicial do desenvolvimento de jogos, onde a ideia do jogo é concebida, planejada e documentada. Nessa fase, são definidos os seguintes elementos:

  • O conceito do jogo: o que é o jogo, qual o seu objetivo, qual o seu público-alvo, qual o seu gênero, qual a sua plataforma, etc.
  • O design do jogo: como é o jogo, quais são as suas regras, mecânicas, sistemas, personagens, cenários, interface, etc.
  • O roteiro do jogo: qual é a história do jogo, quais são os eventos, diálogos, conflitos, desafios, recompensas, etc.
  • O protótipo do jogo: uma versão simplificada e funcional do jogo, que serve para testar e validar o conceito e o design do jogo.

A pré-produção é uma fase muito importante, pois é nela que se define o escopo, o orçamento, o cronograma e a equipe do projeto. Além disso, é nela que se cria a documentação do jogo, que é o conjunto de especificações técnicas e artísticas que orientam o desenvolvimento do jogo. A documentação do jogo pode incluir:

  • O game design document (GDD): o documento que descreve o conceito, o design e o roteiro do jogo, de forma detalhada e organizada.
  • O technical design document (TDD): o documento que descreve os aspectos técnicos do jogo, como a engine, a linguagem, as ferramentas, os recursos, os requisitos, etc.
  • O art bible: o documento que descreve os aspectos artísticos do jogo, como o estilo, as cores, as texturas, as formas, os modelos, as animações, etc.
  • O sound bible: o documento que descreve os aspectos sonoros do jogo, como a música, os efeitos, as vozes, o ritmo, o volume, etc.

Produção

A produção é a fase principal do desenvolvimento de jogos, onde o jogo é construído, de acordo com a documentação criada na pré-produção. Nessa fase, são realizadas as seguintes atividades:

  • A programação do jogo: a atividade de escrever o código-fonte do jogo, que é o conjunto de instruções que determinam o funcionamento do jogo, usando uma linguagem de programação e uma engine específica.
  • o design do jogo: a atividade de projetar os elementos do jogo, como as regras, as mecânicas, os sistemas, os personagens, os cenários, a interface, etc., usando ferramentas de design e arte.
  • A arte do jogo: a atividade de criar os elementos visuais do jogo, como as imagens, as texturas, as formas, os modelos, as animações, etc., usando ferramentas de edição de imagem, modelagem 3D, pixel art, animação, etc.
  • O som do jogo: a atividade de criar os elementos sonoros do jogo, como a música, os efeitos, as vozes, etc., usando ferramentas de edição de som, gravação, síntese, etc.
  • O teste do jogo: a atividade de verificar se o jogo está funcionando corretamente, se não há erros, bugs, falhas, etc., usando ferramentas de teste, depuração, análise, etc.

A produção é uma fase muito complexa e trabalhosa, pois é nela que se materializa o jogo, com todos os seus detalhes e desafios. Além disso, é nela que se realiza o controle de qualidade do jogo, que é o processo de garantir que o jogo atenda aos padrões de excelência e satisfação esperados.

Pós-produção

A pós-produção é a fase final do desenvolvimento de jogos, onde o jogo é finalizado, distribuído e atualizado. Nessa fase, são realizadas as seguintes atividades:

  • A finalização do jogo: a atividade de polir o jogo, corrigir os últimos erros, bugs, falhas, etc., e preparar o jogo para o lançamento, usando ferramentas de otimização, compactação, empacotamento, etc.
  • A distribuição do jogo: a atividade de disponibilizar o jogo para o público, através de plataformas de distribuição digital, lojas físicas, mídias físicas, etc., usando ferramentas de marketing, publicidade, licenciamento, etc.
  • A atualização do jogo: a atividade de manter o jogo atualizado, adicionando novos conteúdos, funcionalidades, melhorias, correções, etc., usando ferramentas de atualização, feedback, suporte, etc.

A pós-produção é uma fase muito importante, pois é nela que se define o sucesso do jogo, em termos de alcance, receita, reputação, etc. Além disso, é nela que se mantém o relacionamento com o público, através de canais de comunicação, avaliação, interação, etc.

Tipos de desenvolvimento de jogos

O desenvolvimento de jogos pode ser classificado em três tipos principais, de acordo com o tamanho, o objetivo e o modelo de negócio do projeto: indie, profissional e educacional.

Desenvolvimento indie

O desenvolvimento indie é o tipo de desenvolvimento de jogos que é feito de forma independente, sem o apoio ou a interferência de uma grande empresa ou editora. Os desenvolvedores indie geralmente são pequenos grupos ou indivíduos, que criam seus jogos com recursos próprios, limitados ou obtidos através de financiamento coletivo, patrocínio, etc.

O desenvolvimento indie tem como vantagens a liberdade criativa, a inovação, a experimentação, a diversidade, a originalidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a falta de recursos, a instabilidade, a concorrência, a dificuldade de visibilidade, etc.

Alguns exemplos de jogos indie são: Minecraft, Braid, Limbo, Super Meat Boy, Fez, Undertale, Stardew Valley, etc.

Desenvolvimento profissional

O desenvolvimento profissional é o tipo de desenvolvimento de jogos que é feito de forma comercial, com o apoio ou a interferência de uma grande empresa ou editora. Os desenvolvedores profissionais geralmente são grandes equipes ou empresas, que criam seus jogos com recursos abundantes, provenientes de investimentos, vendas, publicidade, etc.

O desenvolvimento profissional tem como vantagens a qualidade, a produção, a distribuição, a rentabilidade, a popularidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a limitação criativa, a padronização, a repetição, a pressão, a competição, etc.

Alguns exemplos de jogos profissionais são: Call of Duty, FIFA, Grand Theft Auto, The Legend of Zelda, Assassin’s Creed, The Sims, etc.

Desenvolvimento educacional

O desenvolvimento educacional é o tipo de desenvolvimento de jogos que é feito de forma pedagógica, com o objetivo de ensinar ou aprender algo. Os desenvolvedores educacionais geralmente são professores, estudantes, pesquisadores, etc., que criam seus jogos com recursos variados, dependendo do contexto e do propósito do projeto.

O desenvolvimento educacional tem como vantagens a motivação, a interação, a ludicidade, a aprendizagem, a avaliação, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a dificuldade de equilibrar o conteúdo e a diversão, a adequação ao público e ao currículo, a validação científica, etc.

Alguns exemplos de jogos educacionais são: SimCity, Civilization, Portal, Brain Age, Math Blaster, etc.

Gêneros de jogos

O gênero de um jogo é a categoria que define as características principais do jogo, como a temática, a mecânica, a jogabilidade, etc. Existem diversos gêneros de jogos, que podem ser combinados ou subdivididos, de acordo com os critérios de classificação. Alguns dos gêneros mais comuns são:

Ação

O gênero de ação é o gênero que envolve ação, movimento, reflexo, coordenação, etc. Os jogos de ação geralmente têm um ritmo rápido, uma perspectiva em primeira ou terceira pessoa, e um foco na interação com o ambiente, os objetos, os inimigos, etc. Alguns subgêneros de ação são: tiro, luta, plataforma, stealth, etc.

Alguns exemplos de jogos de ação são: Doom, Street Fighter, Super Mario, Metal Gear Solid, etc.

Aventura

O gênero de aventura é o gênero que envolve aventura, exploração, descoberta, resolução de problemas, etc. Os jogos de aventura geralmente têm um ritmo moderado, uma perspectiva em primeira ou terceira pessoa, e um foco na narrativa, nos personagens, nos diálogos, nos enigmas, etc. Alguns subgêneros de aventura são: point-and-click, graphic adventure, text adventure, etc.

Alguns exemplos de jogos de aventura são: Monkey Island, The Walking Dead, Zork, etc.

RPG

O gênero de RPG é o gênero que envolve RPG, role-playing game, jogo de interpretação de papéis, etc. Os jogos de RPG geralmente têm um ritmo variado, uma perspectiva em primeira, terceira ou isométrica pessoa, e um foco na personalização, no desenvolvimento, na progressão, na escolha, etc. Alguns subgêneros de RPG são: action RPG, turn-based RPG, strategy RPG, etc.

Alguns exemplos de jogos de RPG são: Final Fantasy, The Elder Scrolls, Fallout, etc.

Estratégia

O gênero de estratégia é o gênero que envolve estratégia, planejamento, gerenciamento, tomada de decisão, etc. Os jogos de estratégia geralmente têm um ritmo lento, uma perspectiva em terceira ou isométrica pessoa, e um foco na análise, na organização, na execução, na competição, etc. Alguns subgêneros de estratégia são: real-time strategy, turn-based strategy, tower defense, etc.

Alguns exemplos de jogos de estratégia são: StarCraft, Civilization, Plants vs. Zombies, etc.

Simulação

O gênero de simulação é o gênero que envolve simulação, imitação, reprodução, etc. Os jogos de simulação geralmente têm um ritmo variado, uma perspectiva em primeira, terceira ou isométrica pessoa, e um foco na fidelidade, na realidade, na complexidade, na experiência, etc. Alguns subgêneros de simulação são: simulation, flight simulation, racing simulation, etc.

Alguns exemplos de jogos de simulação são: The Sims, Flight Simulator, Gran Turismo, etc.

Esporte

O gênero de esporte é o gênero que envolve esporte, competição, habilidade, desempenho, etc. Os jogos de esporte geralmente têm um ritmo rápido, uma perspectiva em primeira, terceira ou isométrica pessoa, e um foco na habilidade, na precisão, na velocidade, na diversão, etc. Alguns subgêneros de esporte são: futebol, basquete, tênis, golfe, etc.

Alguns exemplos de jogos de esporte são: FIFA, NBA, PES, Wii Sports, etc.

Como começar a desenvolver jogos?

Se você se interessou pelo desenvolvimento de jogos e quer começar a criar seus próprios jogos, você vai precisar de alguns requisitos básicos, que são: conhecimentos, habilidades e atitudes. Além disso, você vai precisar conhecer os principais papéis e funções no desenvolvimento de jogos, e as formas de aprender desenvolvimento de jogos. Vamos ver cada um desses aspectos em detalhes.

Requisitos básicos para desenvolver jogos

Para desenvolver jogos, você vai precisar de:

Conhecimentos

Os conhecimentos são as informações, os conceitos, as teorias, as regras, etc., que você precisa saber para desenvolver jogos. Os conhecimentos podem ser de diferentes áreas, como:

  • Matemática: para lidar com números, cálculos, geometria, álgebra, trigonometria, etc.
  • Física: para lidar com movimento, força, gravidade, colisão, etc.
  • Lógica: para lidar com raciocínio, argumentação, solução de problemas, etc.
  • Programação: para lidar com código, linguagem, algoritmo, estrutura de dados, etc.
  • Design: para lidar com regras, mecânicas, sistemas, interface, etc.
  • Arte: para lidar com imagem, som, vídeo, animação, etc.
  • Narrativa: para lidar com história, personagens, diálogos, conflitos, etc.
  • Psicologia: para lidar com comportamento, emoção, motivação, etc.
  • Comunicação: para lidar com linguagem, expressão, interação, etc.

Você não precisa saber tudo sobre todas essas áreas, mas quanto mais você souber, melhor. Você pode adquirir conhecimentos através de estudo, pesquisa, leitura, etc.

Habilidades

As habilidades são as capacidades, as competências, as aptidões, etc., que você precisa ter para desenvolver jogos. As habilidades podem ser de diferentes tipos, como:

  • Técnicas: para lidar com ferramentas, softwares, hardwares, etc.
  • Artísticas: para lidar com criatividade, originalidade, estilo, etc.
  • Analíticas: para lidar com análise, síntese, avaliação, etc.
  • Sociais: para lidar com cooperação, colaboração, liderança, etc.
  • Emocionais: para lidar com emoção, motivação, persistência, etc.

Você não precisa ter todas essas habilidades, mas quanto mais você tiver, melhor. Você pode desenvolver habilidades através de prática, exercício, experiência, etc.

Atitudes

As atitudes são as disposições, as posturas, as mentalidades, etc., que você precisa ter para desenvolver jogos. As atitudes podem ser de diferentes formas, como:

  • Curiosidade: para lidar com novidade, descoberta, aprendizado, etc.
  • Paixão: para lidar com interesse, entusiasmo, dedicação, etc.
  • Humildade: para lidar com limitação, erro, feedback, etc.
  • Flexibilidade: para lidar com mudança, adaptação, inovação, etc.
  • Persistência: para lidar com dificuldade, desafio, obstáculo, etc.

Você precisa ter todas essas atitudes, pois elas são fundamentais para o desenvolvimento de jogos. Você pode cultivar atitudes através de reflexão, autoconhecimento, autocontrole, etc.

Papéis e funções no desenvolvimento de jogos

O desenvolvimento de jogos é uma atividade que envolve diferentes papéis e funções, que são as responsabilidades e as competências de cada profissional envolvido no projeto. Os papéis e as funções podem variar de acordo com o tipo, o tamanho e a complexidade do projeto, mas alguns dos mais comuns são:

Programador

O programador é o profissional que escreve o código-fonte do jogo, usando uma linguagem de programação e uma engine específica. O programador é responsável por implementar as funcionalidades, os sistemas, as mecânicas, a interface, etc., do jogo, de acordo com o design e a documentação do projeto. O programador precisa ter conhecimentos de matemática, física, lógica, programação, etc., e habilidades técnicas, analíticas, etc.

Designer

O designer é o profissional que projeta os elementos do jogo, como as regras, as mecânicas, os sistemas, os personagens, os cenários, a interface, etc., usando ferramentas de design e arte. O designer é responsável por definir o conceito, o design e o roteiro do jogo, de acordo com a ideia e a documentação do projeto. O designer precisa ter conhecimentos de design, arte, narrativa, psicologia, etc., e habilidades artísticas, criativas, etc.

Artista

O artista é o profissional que cria os elementos visuais do jogo, como as imagens, as texturas, as formas, os modelos, as animações, etc., usando ferramentas de edição de imagem, modelagem 3D, animação, etc. O artista é responsável por dar vida ao jogo, de acordo com o estilo, a arte e a documentação do projeto. O artista precisa ter conhecimentos de arte, imagem, som, vídeo, etc., e habilidades artísticas, criativas, etc.

Sonoplasta

O sonoplasta é o profissional que cria os elementos sonoros do jogo, como a música, os efeitos, as vozes, etc., usando ferramentas de edição de som, gravação, síntese, etc. O sonoplasta é responsável por criar a atmosfera sonora do jogo, de acordo com o ritmo, o som e a documentação do projeto. O sonoplasta precisa ter conhecimentos de som, música, efeitos, etc., e habilidades artísticas, criativas, etc.

Roteirista

O roteirista é o profissional que cria a história do jogo, como os eventos, os diálogos, os conflitos, etc., usando ferramentas de escrita, roteiro, etc. O roteirista é responsável por criar a narrativa do jogo, de acordo com o tema, o gênero e a documentação do projeto. O roteirista precisa ter conhecimentos de narrativa, história, personagens, etc., e habilidades artísticas, criativas, etc.

Produtor

O produtor é o profissional que gerencia o projeto do jogo, como o escopo, o orçamento, o cronograma, a equipe, etc., usando ferramentas de gestão, planejamento, comunicação, etc. O produtor é responsável por coordenar, organizar, liderar e supervisionar o desenvolvimento do jogo, de acordo com os objetivos, as expectativas e a documentação do projeto. O produtor precisa ter conhecimentos de gestão, planejamento, comunicação, etc., e habilidades sociais, emocionais, etc.

Formas de aprender desenvolvimento de jogos

Se você quer aprender desenvolvimento de jogos, você pode escolher entre diferentes formas, que são os meios, os recursos, os métodos, etc., que você pode usar para adquirir conhecimentos, desenvolver habilidades e cultivar atitudes. Algumas das formas mais comuns são:

Cursos

Os cursos são as formas de aprendizado que envolvem a participação em um programa de ensino, que pode ser presencial ou online, formal ou informal, gratuito ou pago, etc. Os cursos geralmente têm uma duração, um conteúdo, uma metodologia, uma avaliação, um certificado, etc., definidos por uma instituição, uma empresa, um profissional, etc.

Os cursos têm como vantagens a estrutura, a orientação, a certificação, etc. Por outro lado, têm como desvantagens o custo, o tempo, a rigidez, etc.

Alguns exemplos de cursos de desenvolvimento de jogos são: Curso de Desenvolvimento de Jogos com Unity, Curso de Desenvolvimento de Jogos com Unreal, Curso de Desenvolvimento de Jogos com GameMaker, etc.

Livros

Os livros são as formas de aprendizado que envolvem a leitura de um material escrito, que pode ser impresso ou digital, teórico ou prático, geral ou específico, etc. Os livros geralmente têm uma autoria, uma editora, uma edição, um ISBN, etc., definidos por um autor, uma editora, um revisor, etc.

Os livros têm como vantagens a

a profundidade, a abrangência, a referência, etc. Por outro lado, têm como desvantagens o custo, o peso, a atualização, etc.

Alguns exemplos de livros de desenvolvimento de jogos são: Game Design: Teoria e Prática, Game Engine Architecture, The Art of Game Design: A Book of Lenses, etc.

Tutoriais

Os tutoriais são as formas de aprendizado que envolvem o acompanhamento de um passo a passo, que pode ser escrito ou em vídeo, básico ou avançado, simples ou complexo, etc. Os tutoriais geralmente têm um autor, um título, uma descrição, um link, etc., definidos por um profissional, um entusiasta, um usuário, etc.

Os tutoriais têm como vantagens a praticidade, a rapidez, a interatividade, etc. Por outro lado, têm como desvantagens a qualidade, a confiabilidade, a continuidade, etc.

Alguns exemplos de tutoriais de desenvolvimento de jogos são: Como fazer um jogo de plataforma com Unity, Como fazer um jogo de tiro com Unreal, Como fazer um jogo de RPG com GameMaker, etc.

Comunidades

As comunidades são as formas de aprendizado que envolvem a participação em um grupo de pessoas, que pode ser online ou offline, formal ou informal, aberto ou fechado, etc. As comunidades geralmente têm um nome, uma plataforma, uma moderação, uma regra, etc., definidos por um líder, um administrador, um moderador, etc.

As comunidades têm como vantagens a troca, a colaboração, a ajuda, etc. Por outro lado, têm como desvantagens o ruído, o conflito, o desrespeito, etc.

Alguns exemplos de comunidades de desenvolvimento de jogos são: Fórum Unity Brasil, Fórum Unreal Brasil, Fórum GameMaker Brasil, etc.

Eventos

Os eventos são as formas de aprendizado que envolvem a presença em um acontecimento, que pode ser presencial ou online, periódico ou esporádico, gratuito ou pago, etc. Os eventos geralmente têm um nome, uma data, um local, uma programação, etc., definidos por um organizador, um patrocinador, um palestrante, etc.

Os eventos têm como vantagens a atualização, a networking, a inspiração, etc. Por outro lado, têm como desvantagens o custo, o tempo, a disponibilidade, etc.

Alguns exemplos de eventos de desenvolvimento de jogos são: Brasil Game Show, Game Developers Conference, Global Game Jam, etc.

Quais as melhores ferramentas para desenvolver jogos?

Se você já tem os requisitos básicos, conhece os papéis e funções, e escolheu as formas de aprender desenvolvimento de jogos, você vai precisar de algumas ferramentas para desenvolver jogos, que são os softwares, os hardwares, os recursos, etc., que você pode usar para criar seus jogos. Existem diversas ferramentas para desenvolver jogos, que podem ser classificadas em três conceitos principais: engine, framework e biblioteca. Vamos ver cada um desses conceitos em detalhes.

Engine

Uma engine é uma ferramenta que oferece um conjunto de funcionalidades prontas para desenvolver jogos, como renderização, física, som, rede, etc. Uma engine geralmente tem uma interface gráfica, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma visual e intuitiva. Uma engine também permite usar uma linguagem de programação, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica.

Uma engine tem como vantagens a facilidade, a rapidez, a qualidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a limitação, a dependência, a compatibilidade, etc.

Alguns exemplos de engines para desenvolver jogos são:

Unity

Unity é uma engine para desenvolver jogos multiplataforma, que permite criar jogos para Windows, Mac, Linux, Android, iOS, Web, etc. Unity usa a linguagem C#, que é uma linguagem de programação orientada a objetos, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica. Unity também tem uma interface gráfica, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma visual e intuitiva.

Unity tem como vantagens a popularidade, a versatilidade, a comunidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a curva de aprendizado, a performance, a licença, etc.

Unreal

Unreal é uma engine para desenvolver jogos de alta performance, que permite criar jogos para Windows, Mac, Linux, Android, iOS, Web, etc. Unreal usa a linguagem C++, que é uma linguagem de programação de baixo nível, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica. Unreal também tem uma interface gráfica, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma visual e intuitiva.

Unreal tem como vantagens a qualidade, a potência, a gratuidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a complexidade, a exigência, a royalties, etc.

GameMaker

GameMaker é uma engine para desenvolver jogos 2D, que permite criar jogos para Windows, Mac, Linux, Android, iOS, Web, etc. GameMaker usa a linguagem GML, que é uma linguagem de programação simples e fácil, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica. GameMaker também tem uma interface gráfica, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma visual e intuitiva.

GameMaker tem como vantagens a simplicidade, a rapidez, a acessibilidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a limitação, a dependência, a licença, etc.

Godot

Godot é uma engine para desenvolver jogos 2D e 3D, que permite criar jogos para Windows, Mac, Linux, Android, iOS, Web, etc. Godot usa a linguagem GDScript, que é uma linguagem de programação inspirada em Python, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica. Godot também tem uma interface gráfica, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma visual e intuitiva.

Godot tem como vantagens a liberdade, a flexibilidade, a comunidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a documentação, a estabilidade, a compatibilidade, etc.

Framework

Um framework é uma ferramenta que oferece uma estrutura básica para desenvolver jogos, como classes, funções, eventos, etc. Um framework geralmente não tem uma interface gráfica, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma visual e intuitiva. Um framework apenas permite usar uma linguagem de programação, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica.

Um framework tem como vantagens a personalização, a independência, a compatibilidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a dificuldade, a lentidão, a qualidade, etc.

Alguns exemplos de frameworks para desenvolver jogos são:

Pygame

Pygame é um framework para desenvolver jogos 2D, que permite criar jogos para Windows, Mac, Linux, etc. Pygame usa a linguagem Python, que é uma linguagem de programação de alto nível, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica.

Pygame tem como vantagens a simplicidade, a popularidade, a gratuidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a limitação, a performance, a atualização, etc.

LibGDX

LibGDX é um framework para desenvolver jogos 2D e 3D, que permite criar jogos para Windows, Mac, Linux, Android, iOS, Web, etc. LibGDX usa a linguagem Java, que é uma linguagem de programação orientada a objetos, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica.

LibGDX tem como vantagens a versatilidade, a potência, a gratuidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a complexidade, a exigência, a documentação, etc.

Phaser

Phaser é um framework para desenvolver jogos 2D, que permite criar jogos para Web, etc. Phaser usa a linguagem JavaScript, que é uma linguagem de programação de script, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica.

Phaser tem como vantagens a praticidade, a rapidez, a acessibilidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a limitação, a instabilidade, a compatibilidade, etc.

Biblioteca

Uma biblioteca é uma ferramenta que oferece um conjunto de recursos específicos para desenvolver jogos, como imagens, sons, vídeos, animações, etc. Uma biblioteca geralmente não tem uma interface gráfica, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma visual e intuitiva. Uma biblioteca apenas permite usar uma linguagem de programação, que permite criar e editar

os elementos do jogo de forma textual e lógica.

Uma biblioteca tem como vantagens a utilidade, a variedade, a complementaridade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a dependência, a compatibilidade, a qualidade, etc.

Alguns exemplos de bibliotecas para desenvolver jogos são:

SDL

SDL é uma biblioteca para desenvolver jogos multiplataforma, que permite criar jogos para Windows, Mac, Linux, Android, iOS, Web, etc. SDL usa a linguagem C, que é uma linguagem de programação de baixo nível, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica. SDL oferece recursos para lidar com janela, gráfico, som, entrada, rede, etc.

SDL tem como vantagens a simplicidade, a portabilidade, a gratuidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a limitação, a dificuldade, a atualização, etc.

SFML

SFML é uma biblioteca para desenvolver jogos 2D, que permite criar jogos para Windows, Mac, Linux, etc. SFML usa a linguagem C++, que é uma linguagem de programação orientada a objetos, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica. SFML oferece recursos para lidar com janela, gráfico, som, entrada, rede, etc.

SFML tem como vantagens a facilidade, a qualidade, a gratuidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a limitação, a exigência, a compatibilidade, etc.

OpenGL

OpenGL é uma biblioteca para desenvolver jogos 3D, que permite criar jogos para Windows, Mac, Linux, Android, iOS, Web, etc. OpenGL usa a linguagem C, que é uma linguagem de programação de baixo nível, que permite criar e editar os elementos do jogo de forma textual e lógica. OpenGL oferece recursos para lidar com gráfico, renderização, iluminação, textura, etc.

OpenGL tem como vantagens a potência, a flexibilidade, a gratuidade, etc. Por outro lado, tem como desvantagens a complexidade, a dificuldade, a documentação, etc.

Conclusão

Neste artigo, você aprendeu o que é desenvolvimento de jogos, como começar a desenvolver jogos, e quais as melhores ferramentas para desenvolver jogos. Esperamos que este artigo tenha sido útil e interessante para você, e que você tenha se sentido mais preparado para iniciar sua jornada como desenvolvedor de jogos.

Agora, é hora de colocar em prática o que você aprendeu, e experimentar as ferramentas que sugerimos. Você pode baixar as engines, os frameworks e as bibliotecas que mencionamos, e seguir os tutoriais que indicamos, para criar seus primeiros jogos. Você também pode participar dos cursos, dos livros, das comunidades e dos eventos que recomendamos, para aprofundar seus conhecimentos, desenvolver suas habilidades e cultivar suas atitudes.

E, claro, não se esqueça de se divertir, pois o desenvolvimento de jogos é uma atividade que envolve criatividade, tecnologia, arte e diversão. Lembre-se que o desenvolvimento de jogos é um processo de aprendizado contínuo, que exige dedicação, estudo, planejamento e trabalho em equipe.

Se você gostou deste artigo, compartilhe com seus amigos, deixe um comentário, se inscreva no nosso blog, etc. E se você tiver alguma dúvida, sugestão ou crítica, entre em contato conosco. Estamos sempre abertos ao seu feedback.

Quer saber um pouco mais sobre Desenvolvimento de Jogos? Veja esse video do canal Attekita Dev:

Autor
Sempre em busca de trazer novos conteúdos essenciais sobre o universo do desenvolvimento de jogos. De Gamer para Gamers.

Deixe um comentário